Na Educação Infantil e no Ensino Fundamental I, os alunos realizam Trabalhos de Campo, que não possuem ainda os mesmos contornos dos Estudos do Meio – integrantes do currículo a partir do Ensino Fundamental II -, mas que já promovem experiências de pesquisas, observações e relações feitas entre a sala de aula e o mundo fora dos muros da escola.

O Trabalho de Campo ocorre desde os primeiros anos da Educação Infantil, sendo tanto disparador de assuntos a serem investigados como finalizador de estudos, ou mesmo intermediador dos caminhos de pesquisa que a turma percorre.

O Trabalho de Campo coloca em xeque uma quantidade enorme de conteúdos factuais e procedimentais para o aluno. Durante o trabalho, ele tem que mobilizar seus saberes, organizar os próprios procedimentos de registro, assimilar as novas informações, compartilhar tarefas com os colegas de seu grupo, entre outras atividades. Ali, o aluno tem uma visão mais complexa do fenômeno estudado, experimentando seu papel de pesquisador de maneira mais complexa. Todas as aprendizagens se ancoram em uma vivência prática que ativa todos os sentidos simultaneamente – ou seja, resulta em um aluno mais poroso e uma aprendizagem mais significativa. As experiências, como a dos alunos do 4º ano com o Trabalho de Campo no Centro de São Paulo, também têm papel no embate de referências e pré-conceitos, além de mediar, desde a infância, a relação do aluno com a cidade em que vive.

Dependendo do encaminhamento, pode-se enriquecer ainda mais a interdisciplinaridade, como a entrada da disciplina de Inglês no Trabalho de Campo do 3º ano do Fundamental I pela Vila Madalena, por conta da presença significativa de estrangeiros no bairro. Com isso, os alunos visitam albergues da juventude, entrevistam turistas internacionais e trocam percepções sobre o bairro, culminando na produção de um Guia Turístico bilíngue escrito pelos alunos.

Este texto foi desenvolvido a partir da contribuição de três educadores do Oswald, que se reuniram em uma roda de conversa para contar os objetivos e a importância das experiências de trabalhos de campo e estudos do meio. Fernando Pimentel, coordenador pedagógico do 3º a 5º ano do Fundamental I; Ricardo Santoro, professor de Ciências de 8º e 9º e Biologia do 1º EM, e Vania de Andrade Luz, professora de Matemática de 8º e 9º ano e do 1º ano do Ensino Médio.