Um dos pontos fortes na estratégia de aprendizado do Oswald, os projetos interdisciplinares utilizam-se da Matemática em diversas situações.

No Ensino Fundamental I, os projetos aproximam os alunos de situações pontuais, como estudar medidas e gênero de receitas, ou que estejam presentes no projeto anual, como no 5º ano, em que a matemática está presente em alguns textos de Ciências ou História e Geografia, por exemplo.

Em 2016 foi feito um estudo interdisciplinar com o 6º ano, envolvendo Matemática Financeira a partir de um material desenvolvido pelo MEC. Neste ano, no Estudo do Meio, esses mesmos alunos – agora no 7º ano – vão para a comunidade da Baleia, no Parque Estadual da Ilha do Cardoso, no Estado de São Paulo, onde as mulheres são responsáveis pela organização financeira comunitária.

Parte das tarefas será justamente entender de que maneira essa economia comunitária se organiza na prática, usando os exercícios do ano passado como base crítica.

Há também, já faz alguns anos, um estudo amplo de Matemática Financeira no 9º ano – envolvendo em conjunto o mercado financeiro -, que abrange Geografia e Matemática Financeira.

Os alunos começam trabalhando textos e conteúdos e, ao decorrer da atividade, têm contato com um economista de mercado que apresenta, matematicamente, alguns conceitos econômicos, por exemplo: por que o comércio incentiva as compras a prazo, um dos temas mais debatidos pelos alunos.

Igualmente, existem projetos e parcerias interdisciplinares pontuais, que surgem da necessidade de aprendizado de cada turma.

Já tiveram trabalhos do Ensino Médio conectando Física e Matemática em um estudo de proporcionalidades e suas aplicações, por exemplo, disparado a partir da necessidade de compreensão da proporção que apareceu nas aulas de Física.

Ainda em 2017, o 7º ano vai trabalhar a África e os refugiados africanos ao redor do mundo na disciplina de Geografia; a partir dessa investigação, foi proposto que um especialista de Etnomatemática viesse conversar com as turmas.

Este texto foi desenvolvido a partir da contribuição de seis educadores do Oswald, em uma roda de conversa sobre como formar novas gerações de apreciadores de Literatura e cidadãos capazes de ler e escrever textos críticos e com profundidade. Ana Paula Mateus, professora do 5º ano do Fundamental I; Evandro Rodrigues, professor de Língua Portuguesa do 8º e 9º ano do Fundamental II e de Produção de Textos do 1º ano do Ensino Médio; Janaína Arruda da Silva, professora no Ensino Médio de Literatura, Produção de Texto e Gramática; Natalia Correa Martins, professora do 1º ano do Fundamental I; Rosane Mingues Reinert, coordenadora pedagógica do Ciclo I no Fundamental I, e Vivian Gusmão, professora de Língua Portuguesa no 6º e 7º ano do Fundamental II.