Como colocar em prática um currículo que seja diversificado? Entre muitos dos exemplos possíveis de práticas diversificadas do Oswald está a disciplina de Projetos de Intervenção, trabalhada com o 3º ano do Ensino Médio.  Inspirada no trabalho de solução de problemas do currículo da Universidade de São Paulo (Campus Leste), é uma das marcas do currículo do Ensino Médio do Oswald.

Nesse projeto, os alunos se dividem em grupos e, a partir de um problema metropolitano que lhes toque, pesquisam e propõem um Projeto de Intervenção para tentar solucionar o problema sobre o qual pretendem atuar. Os grupos partem de um levantamento teórico do problema, de trabalhos escritos sobre o assunto e mapeiam potenciais soluções, para a tentar criar uma intervenção construída coletivamente.O trabalho inclui a busca de recursos financeiros, a elaboração e administração de um cronograma de ações e, não raramente, propõe intervenções que extrapolam os muros da escola.

Muitas vezes, nesse processo, os alunos precisam lidar com frustrações, quando não conseguem resolver os problemas, quiçá viabilizar o projeto – às vezes porque os próprios alunos não conseguem se organizar, mas muitas outras vezes porque não é fácil executar uma mudança significativa. Ainda assim, os professores orientadores dos grupos afirmam que é interessante permitir ao aluno vivenciar essa frustração.

Pedagogicamente, a experiência promove transformações nos alunos, seja frente a impossibilidade de execução, seja com uma ação surpreendentemente articulada promovida inteiramente pelos grupos. As ações fora da escola instigam conexões e práticas sociais que exigem outras diversas habilidades dos alunos e, consequentemente, proporcionam aprendizados diversificados.

Também com a preocupação de trazer para a realidade dos alunos o que acontece na sociedade, no Ensino Fundamental I os projetos trabalhados nas turmas podem surgir a partir da identificação de problemas reais pelos alunos. Trazer a prática social em todos os conhecimentos mobilizados no processo de aprendizagem é uma das marcas do projeto do Oswald.

Por meio da construção do senso crítico e do estímulo à participação ativa dos alunos na elaboração desses conhecimentos, a escola trabalha os conteúdos obrigatórios mantendo a preocupação com a prática social, com a maneira que esse conteúdo é trabalhado e abordado: pensa-se a experiência do aluno, olhando para os assuntos discutidos em sala que podem ajudar a construir a relação dos alunos com o mundo. Os projetos são construídos a partir de alguma problematização realizada pelos alunos e direcionados pela equipe de professores para atingir as expectativas de aprendizagem daquela série. A aproximação com a realidade mobiliza e desperta o interesse dos alunos, tornando-os ativos em suas aprendizagens e ações na escola, assim como na sociedade em que vivem.

Este texto foi desenvolvido a partir da contribuição de três educadores do Oswald, que se reuniram em uma roda de conversa para debater a importância de um currículo diversificado na formação dos alunos. Ieda Abbud, que trabalha no Oswald desde 2012 e é Coordenadora do G2 ao G4, na Educação Infantil; Tarso Loureiro, na escola desde 2010, é professor de Geografia e Sociologia no Ensino Fundamental II e Médio, e Tatiana Kobayashi Sarmento Tatit, que é professora do Fundamental I e trabalha na escola desde 2006.