A importância do brincar na infância foi um dos conceitos fundadores do Caravelas – uma das escolas que se uniu ao Colégio Oswald de Andrade como conhecemos hoje. O Caravelas foi uma escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental fundada por educadoras e psicólogas que relacionavam o brincar ao desenvolvimento das crianças. Por isso, no projeto pedagógico da escola, desde sua fundação, privilegiou-se muito o espaço da brincadeira. Essa concepção foi mantida no Oswald, na qual o brincar é concebido como parte da constituição da criança e das relações que ela cria com os outros e o mundo ao seu redor. A brincadeira cria um repertório que fornece mais ferramentas para entender o mundo, mesmo na vida adulta, uma vez que a capacidade criativa está intrinsecamente relacionada à brincadeira.

No currículo da Educação Infantil, o brincar é colocado como pano de fundo para todas as atividades desenvolvidas com as crianças, mostrando-se como uma linguagem que permite às crianças investigarem, explorarem e criarem novas formas de se relacionar. Os “cantinhos”, por exemplo, são momentos de brincadeira presentes na rotina das crianças desde o início da Educação Infantil. Os educadores preparam um cenário com temas e materiais que instiguem os alunos a brincar, usando a imaginação livremente.

Por conceber o brincar como valioso para o desenvolvimento das crianças, o Oswald tenta – internamente e por meio de parcerias externas – significar a brincadeira como fundamental para o exercício de expressar-se e relacionar-se. O Colégio é parceiro da iniciativa Território do Brincar, liderada por Renata Meirelles e David Reeks.

O projeto é um trabalho de escuta, intercâmbio de saberes, registro e difusão da cultura infantil, que teve um longo período de colaboração e formação com as escolas parceiras. Por meio de encontros presenciais, conversas por Skype, discussões entre educadores e registros pedagógicos do cotidiano escolar, o Oswald se envolveu profundamente com o Território do Brincar.

Mesmo com o fim do projeto de intercâmbio, a importância de criar espaços para o livre brincar se introjetou na cultura e na rotina oswaldianas.

O projeto Recreiar, criado por educadores e auxiliares de sala em 2017, por exemplo, demonstra o desenvolvimento dessa cultura. O momento de parque foi repensado e ressignificado a partir da ação desses educadores: materiais não estruturados ficam à disposição no momento de recreio, deixando as crianças livres para desenvolver diversas brincadeiras.

Este texto foi construído a partir da colaboração de três educadoras do Colégio Oswald de Andrade, em uma conversa sobre o papel do brincar no projeto do Oswald. Nana Giovedi, diretora pedagógica do Ensino Infantil e Fundamental I, no Oswald há 37 anos; Liv Armstrong Namura, professora do 2º ano do Fundamental, trabalha no colégio há cinco anos; Cynthia Caetano de Farias, há 24 anos no Oswald, sempre trabalhando na Educação Infantil.